• Categoria Dicas | 28/04/2011

    Como escolher o tênis ideal para correr?

    POSTADO POR admin

    Pode-se considerar que cada corredor possui um estilo próprio para correr. Sendo assim, o tênis ideal para um atleta não seria o mais indicado para outro. A seguir algumas dicas e orientações na escolha do tênis.

    Categorias dos tênis de corrida

    Antes de tudo temos que entender que os tênis de corrida em geral são divididos em cinco categorias: estabilidade (stability), controle de movimento (motion control), amortecimento (cushion), performance (performance ou lightweight) e trilha (trail). Este critério é adotado pela Runner´s World e seguido por grande parte das indústrias. Por fim temos o tênis de competição (racing), estes só devem ser usados especificamente nas competições.

    Abaixo a descrição das categorias:

    •    Estabilidade (Stability): Os tênis desta categoria geralmente apresentam um solado semicurvo e oferece uma boa combinação de amortecimento, suporte e durabilidade. Você deve preferir este tipo de tênis caso seja um corredor de peso médio e não tenha problemas graves de controle de movimento do pé (super pronação).

    •    Controle de movimento (Motion control): Esta categoria possue os tênis mais rígidos e são feitos para controlar a pronação excessiva. Geralmente são mais pesados, duráveis e seu solado é plano para oferecer maior estabilidade e suporte. A escolha desse tipo de tênis é feita caso tenha um grau de pronação muito acentuado ou se utiliza palmilhas especiais que necessitam de um solado firme e espaço no calcanhar para um bom encaixe.

    Dica: Corredores com pé chato se dão melhor com este tipo de tênis.

    •    Amortecimento (Cushion): Os tênis desta categoria possuem um solado mais macio, maior amortecimento e menor suporte. São feitos com solado curvo ou semicurvo, para que possa estimular o movimento do pé. A preferência para este tipo de tênis é para corredores que não precisam de um suporte extra nem tenha um grau excessivo de pronação.
    Dica: Pessoas que tem o arco do pé alto costumam se dar bem com este tipo de tênis.


    •    Performance (Performance ou Lightweight):
    Feitos com solado curvo ou semicurvo. Este tipo de tênis é leve e geralmente usado para competições ou treinos em ritmo rápido. Alguns tênis são razoavelmente estáveis, outros não. Você deve escolher este tipo de tênis se for um corredor rápido e eficiente.
    Dica: Usar como um segundo tênis e usar em provas tênis com maior amortecimento e suporte.
    •    Trilha (Trail): São desenvolvidos para utilização em trilhas, terrenos acidentados ou enlameados. Possui maior tração, são estáveis e duráveis. Nesta categoria encontra-se tênis feitos exclusivamente para trilhas.
    Que fatores considerar na escolha do tênis de corrida?
    Basicamente os corredores devem levar em conta os seguintes fatores:
    •    Parte do pé em que pisa: Os corredores pisam primeiramente ou com o calcanhar (rearfoot striker), ou com a parte frontal do pé (forefoot striker), ou no meio do pé (midfootstriker). Para cada estilo de corrida há uma pressão maior em determinada área do tênis que necessitará de maior amortecimento.

    Pelo bom senso, aqueles que pisam no calcanhar teriam esta zona como de maior impacto. Entretanto, os testes feitos pelo biomecânico Peter Cavangh, na Pennsylvania State University, mostra que a questão é muito mais complexa. Para surpresa geral, notou-se que a força aplicada na parte frontal do pé, ao tirá-lo do chão, superava em muito a do impacto ao pisar no calcanhar.
    Por isso, se você pisa no calcanhar ou na parte frontal do pé, escolha um tênis com bom sistema de amortecimento do calcanhar à ponta do pé.
    É importante lembrar a atenção para o fato de que muito amortecimento compromete a capacidade do tênis de estabilizar o alinhamento e movimentos das articulações dos pés e pernas. Jack Tauton, co-diretor da University of British Columbia´s Allan Mc Gavin Sports Medicine Center, atribui o aumento dos casos de inflamação no tendão de Aquiles (calcâneo), no final dos anos 80, à popularização do calcanhar macio nos tênis de corrida.
    •    Grau de Pronação: Pronação é quando o corredor pisa com a parte externa do pé, e então o rola para dentro absorvendo o impacto. Esta característica é fortemente determinada pelo tipo de pé.

    •    Grau de Supinação: Supinação é quando o corredor pisa com a parte externa do pé e continua nessa mesma linha.

    Tipo de arco do pé: Para saber que tipo de pé você tem, realize um teste simples:
    Teste do pé molhado: Molhe seu pé e pise sobre uma folha de papel, neste papel irá aparecer sua pegada. Compare com os tipos abaixo e veja com qual a sua pegada mais se parece:

    Pé normal:
    tem um arco normal e deixa uma pegada que mostra o calcanhar e a parte frontal do pé ligadas por uma faixa larga. Um pé normal tem um grau leve de pronação para absorver impacto.
    Tênis e categoria recomendado: de moderada estabilidade como aqueles com o meio da sola em duas densidades com o solado meio curvo. Estabilidade e amortecimento.

    Pé chato: tem um arco baixo e deixa quase toda a marca do pé na pegada. Tende a ter um grau excessivo de pronação que pode levar a vários tipos de lesão.

    Tênis e categoria recomendados: de estabilidade ou controle de movimento para reduzir o grau de pronação. Solado plano ou semicurvo. Controle de movimento ou estabilidade.

    Pé com arco elevado:
    deixam uma pegada com uma conexão estreita entre o calcanhar e a parte frontal do pé. Geralmente não tem grau de pronação suficiente para absorção de impacto.

    Tênis e categoria recomendados: de amortecimento com boa flexibilidade e solado curvo para promover o movimento do pé. Amortecimento.
    •    Formato do pé: cada pé possui um formato, variam não só em comprimento, mas também em largura e forma. Da mesma forma há vários formatos de tênis (mais longos na parte lateral, largos na parte frontal, etc.). Com certeza você irá usar seu tênis de corrida várias horas por semana, por isso, este tem que ser confortável e gostoso de usar. Uma forma muito comum de verificar isto é testando o tênis na hora da compra, andando e dando um ligeiro trote.

    •    Peso do corredor: tênis de corredores pesados tendem a durar menos. Desta forma, estes corredores devem escolher os tênis mais duráveis da categoria indicada para o seu estilo de corrida (controle de movimento, estabilidade, etc). Se você é um corredor grande, prefira tênis com sola de poliuretano (mais pesado e mais resistente) em vez de E.V.A.

    •    Nível Atlético: o ritmo em que se corre e o seu grau de condicionamento, também afetam a seleção do tênis. Quanto mais devagar a corrida, maior deve ser a base de suporte. Quanto mais rápido, menor a base. Também é importante que corredores iniciantes tenham tênis com ótimo amortecimento para ajudá-los na adaptação ao novo esporte.
    Sendo assim corredores iniciantes tendem a ter uma freqüência de passadas menor, isso gera maior impacto a cada passada. Por isso, gasta-se um pouco mais de tênis.

    •    Problemas com lesões: a utilização de um tipo inadequado de calçado pode contribuir no aparecimento de lesões. Segundo o Dr. Stephen Pribut, um tênis com uma sola com pouca flexibilidade poderá contribuir no desenvolvimento de inflamação no tendão de Aquiles (calcâneo). Outro fator que contribui para o aparecimento desta lesão é um tênis com muito amortecimento no calcanho (ver explicação “Parte do pé em que pisa”). Por outro lado, Dr. Stephen Pribut lembra que, um tênis com solado muito flexível, pode contribuir para a fascite plantar. Essa lesão é uma inflamação do tecido da sola do pé chamado Pascia Plantar. Além disso, tênis muito flexível pode acentuar o grau de pronação e contribuir para outras lesões. Se caso você tenha problema no tendão de Aquiles, verifique se a sola do seu tênis não é muito rígida ou se há excesso de amortecimento no calcanhar. Se o problema for fascite plantar, procure por um tênis com bom suporte para o arco do pé (categoria estabilidade ou controle de movimento se tiver um grau de pronação mais elevado). Também podemos considerar o uso de palmilhas especiais com suporte para o arco do pé.

    Tão importante quanto escolher o tênis correto é saber quando aposentá-lo.
    Causa comum de lesões é correr com tênis gastos que já deveriam ter sido aposentados. Alguns sinais como o desgaste da sola, são muito claros. No entanto, mesmo um tênis parecendo novo, pode já ter perdido grande parte da capacidade de amortecimento. Há tênis com maior ou menor durabilidade, mas em geral, recomenda-se trocar entre 560 e 880 km de uso. Caso você volte a correr após uma fratura pos estresse, deve aposentar o tênis entre 560 e 640 km. Corredores pesados também podem ter que trocar o tênis mais cedo.