• Categoria Dicas | 9/05/2013
    Tornozelo

    Entorse, Contusão ou Luxação?

    POSTADO POR Fabio Costa

    Um dos grandes erros que vejo na TV ou mesmo no meu consultório é a confusão que fazem com torção, entorse, contusão e luxação. Como nesse site temos a intenção de orientar, vamos falar sobre esse tema e tentar deixar claro pra os torcedores do Bahia… na verdade, desculpem, a todos os torcedores DA Bahia, pois sei que os rubro negros adoram esse site.

    Uma máxima clássica no meio futebolístico é: “acho que ele só teve uma simples luxação…”. Bom, para um ortopedista isso é um absurdo, pois na verdade uma luxação de simples não tem nada. Só para deixar claro, em Traumatologia nós só temos basicamente duas urgências: fraturas expostas e luxações.

    Assim sendo, afinal, o que é uma luxação? A definição precisa é a perda total e permanente de contato entre duas superfícies que se articulam. Ou seja, se imaginarmos a articulação do ombro (gleno-umeral) seria uma lesão onde a cabeça do úmero sai do lugar e perde o contato com o osso da escapula (antigo omoplata), ou quando a cabeça do fêmur perde contato com a bacia.

    Um dos exemplos mais famosos desta lesão ocorre no filme com Mel Gibson, Máquina Mortífera, onde ele para colocar o ombro no lugar se joga contra a parede. Por sinal, nunca façam isso, pois é coisa de Hollywood. Na foto abaixo vocês podem ver a imagem de um ombro luxado. Isso causa uma dor tremenda, incapacidade de movimentar e para ser colocado no lugar precisa, na maioria das vezes, ser anestesiado.

    E por que esse termo ficou tão difundido? Na verdade, ele é confundido com a torção que tecnicamente é chamada por nós, médicos, de ENTORSE. A entorse nada mais é do que a fase inicial da luxação, quando uma articulação começa a sofrer um trauma onde suas superfícies articulares são estressadas ao ponto de começarem a sair do lugar, mas elas voltam pro lugar de origem. Isso é muito comum no tornozelo (por sinal, no próximo artigo falarei sobre esta lesão). Isto é muito doloroso também, pois no movimento de sair do lugar o osso acaba forçando as estruturas estabilizadoras. Quando pisamos em falso (foto) o pé torce, normalmente, internamente e tenciona todas as estruturas laterais do tornozelo. Lá temos tendões, cápsulas, ligamentos e outras estruturas.

    Veja que a superfície articular tenta sair do lugar mas não consegue –o pé vai e volta pro lugar. Diferente da luxação, onde o osso sai do lugar e não volta sozinho. As entorses são muito mais simples de tratar, mas também são muito mais comuns, principalmente no meio futebolístico.

    Ah, tem mais um termo que vocês já devem ter ouvido: SUBLUXAÇÃO. E AÍ? Bom, neste caso ela é muito parecida com a luxação, sendo menos grave. A diferença básica é que o osso sai do lugar, e tenta voltar, mas no retorno não encaixa perfeitamente ficando um pouco fora do lugar. Uma das mais clássicas é a subluxação da cabeça do radio (osso do antebraço na região do cotovelo), onde a mãe ou o pai puxa a criança por um braço só e este sai parcialmente do lugar, ficando a criança muito chorosa e sem mexer o bracinho.

    Resumindo, na luxação o osso que se articula com o outro sai totalmente do lugar e não volta; na subluxação, ele sai, volta pro lugar, mas não volta totalmente; e na entorse, ele sai e volta pro lugar, mas lesa estruturas ao sair. Agora fica mais fácil para que todos possamos cobrar de Galvão Bueno de que não existe uma “simples luxação”.


    E a CONTUSÃO, o que é? Deixei essa por último pois ela é bem diferente das outra três. A contusão nada mais é do que a pancada, o trauma direto, ou seja, quando por exemplo se bate perna com perna, ou aquela famosa dividida do baba, onde vai canela com canela.

    Outro exemplo bom de contusão é o Tostão. Aquele em que o joelho vai na face lateral da coxa, isso é, uma contusão muscular, pois o músculo sofreu um impacto direto.

    As contusões são clássicas em quase todos os esportes e na sua grande maioria tratada de forma simples e objetiva. Em um dos artigos anteriores falei sobre este tratamento, onde nas primeiras 24 horas o negócio é Gelo.

    Bom, se quiserem tirar alguma dúvida, ou mesmo propor temas para nossas próximas colunas, mandem um e-mail: fabiocosta123@uol.com.br. Será um prazer atender.