• Categoria Sem categoria | 12/04/2015

    Exercício físico deve começar na infância

    POSTADO POR Fabio Costa

    A publicitária Ana Lúcia Martins estimulou a prática de exercícios físicos dos trigêmeos Pedro, Rodrigo e Maria Fernanda desde os 3 anos. À época, a atividade escolhida foi a capoeira. Atualmente, com 5 anos, eles tiveram a oportunidade de escolher qual seria a “bola da vez”. Mas com uma condição: a natação é obrigatória, por questão de segurança.

    Os meninos preferiram o futsal. Já Fernanda optou pelo balé, pois os horários da ginástica rítmica – a verdadeira paixão – não eram compatíveis com as aulas de alfabetização.

    O que a publicitária faz é o que os especialistas recomendam: estimular a prática de exercícios sem sobrecarga física e emocional. Para além do auxílio ao combate à obesidade infantil, essas atividades ajudam no desenvolvimento físico e psicológico das crianças.

    “Esses esportes trouxeram benefícios na questão da disciplina. As atividades dão noção de trabalho em equipe, de superação e de coordenação motora”, diz Ana Lúcia.

    Pediatra, Valdi Balesteiro explica que, com a execução de  exercício periódico, o cérebro recebe a contribuição por meio de estímulos que promovem o aprimoramento do sistema nervoso central e contribuem, ainda, para a melhoria da concentração e da integração social.

    “As crianças que praticam atividade física de forma regular, especialmente as coletivas, percebem os limites, entendem que não são o centro das atenções e aprendem a perder”, por exemplo.

    Durante um exercício, o cérebro produz os hormônios do crescimento (Growth Hormone – GH) e da alegria (endorfina), o que gera a sensação de bem-estar . “É como comer chocolate. É essa a sensação que uma criança tem após uma aula de judô, por exemplo”, compara o ortopedista desportivo Fábio Costa.

    O educador físico Tiago Calheiros explica que  crianças têm necessidade constante de movimentar o corpo, por isso devem ser estimuladas desde a primeira infância.

    Prática consciente

    Segundo ele, o ideal é praticar uma atividade  diariamente, ou duas em dias alternados, com um de descanso. “A criança precisa de tempo para brincadeiras próprias da idade”.

    Não há medida certa de exercícios para crianças, sinaliza Calheiros. Cada um responde ao volume dos  estímulos motores impostos de forma diferenciada. É necessário que os pais observem o comportamento dos filhos antes e depois das atividades. Os sintomas de que estão sobrecarregados são: cansaço excessivo, apatia, desatenção, sonolência e irritabilidade.

    Musculação

    O pediatra Valdi Balesteiro alerta que a musculação na infância pode trazer malefícios. “A cartilagem dos ossos longos, que permitem o crescimento, ainda não está fechada. Se a  musculação é feita em uma intensidade aumentada, pode antecipar esse procedimento natural, e a criança pode não atingir a altura predeterminada geneticamente”, explica.

    Para o ortopedista Fábio Costa, esta prática pode ser feita em qualquer idade e o bloqueio do crescimento é um mito: “A criança pode e deve fazer, mas é preciso orientação. O ideal é que a atividade seja feita por meio de exercícios lúdicos, como brincar de ‘morto/vivo'”.

    Veja materia completa no link: http://atarde.uol.com.br/cienciaevida/noticias/1673204-exercicio-fisico-deve-comecar-na-infancia