Osteoporose

Postado por Dr.Fábio Costa

                           Osteoporose é  uma doença esquelética caracterizada por diminuição da massa óssea

 

A osteoporose, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), é considerada como um dos maiores problemas de saúde no mundo. É uma doença esquelética caracterizada por diminuição da massa óssea e deterioração dos ossos, com consequente aumento da sua fragilidade e suscetibilidade à fratura.

A Osteoporose acomete ambos os sexos, no entanto, é mais comum em mulheres acima dos 45 anos, na pós-menopausa, devido à diminuição dos níveis de estrógeno, hormônio que tem ação protetora sobre o osso. Além da deficiência estrogênica, outros fatores também influenciam na redução e perda de massa óssea como baixa ingestão de cálcio, vitamina D, magnésio, zinco e cobre, além de baixa exposição solar. À medida que vai progredindo com o avançar da idade, a doença aumenta o risco de fraturas, especialmente do quadril, da costela e colo do fêmur.

Um estudo divulgado pela Fundação Internacional de Osteoporose (IOF, sigla em inglês), estima que o número de brasileiros com osteoporose deva crescer 32% até 2050 e que a ingestão de cálcio está abaixo do recomendado.

No Brasil, a expectativa média de vida é de 74,6 anos, mas a tendência é que se viva mais nas próximas três décadas. Com essa perspectiva, recomenda-se uma alimentação adequada para poder aproveitar a terceira idade com saúde, evitando assim doenças como a osteoporose e o diabetes.

 

Brasileiros e a Osteoporose

 

osteoporose afeta 200 milhões de pessoas no mundo, 10 milhões só no Brasil. No Brasil, a osteoporose custa 1,2 bilhão de reais anualmente. Mais da metade (61%) deste montante, o equivalente a 733,5 milhões de reais, está associado à perda de produtividade. As despesas com hospitalização representam 234 milhões de reais e os custos cirúrgicos, 162,6 milhões de reais.

Um estudo, realizado pela farmacêutica Amgen, em parceria com a consultoria americana Cornestone Research Group, avaliou que em 2018, brasileiros, mexicanos, colombianos e argentinos de 50 a 89 anos sofreram 840.239 fraturas em decorrência da osteoporose, 159.533 delas de quadril – o tipo mais grave devido ao alto risco de morte. Estima-se que se não houver ampliação do acesso a diagnóstico e tratamento, essas fraturas irão aumentar 14% em 2022.

O Brasil é um dos poucos países da América Latina que tem a osteoporose como prioridade em termos de saúde publica. É preciso trabalhar com ferramentas simples como a identificação precoce de pacientes de alto risco e, iniciar o tratamento de quem precisa. Com o envelhecimento da população, o número de casos da doença tende a crescer. Em 2015 a população brasileira entre 50 anos e 89 anos era de 46 milhões de pessoas. E até 2030 eles serão 69,7 milhões. Em relação ao número de fraturas, em 2015 elas alcançaram 373.000. A estimativa é de chegarmos a 608.000 fraturas em 2030, um aumento de 63%, se nada for feito.

Osteoporose: causas e fatores de risco

 

Entre os fatores de risco que podem levar à osteoporose destacam-se:

  • Histórico familiar da doença;
  • Pessoas de pele branca, baixas e magras;
  • Asiáticos;
  • Deficiência na produção de hormônios;
  • Medicamentos à base de cortisona, heparina e no tratamento da epilepsia;
  • Alimentação deficiente em cálcio e vitamina D;
  • Baixa exposição à luz solar;
  • Imobilização e repouso prolongados;
  • Sedentarismo;
  • Tabagismo;
  • Consumo de álcool;
  • Certos tipos de câncer;
  • Algumas doenças reumatológicas, endócrinas e hepáticas.

Fraturas mais comuns causadas pela Osteoporose

 

O paciente com Osteoporose perde massa óssea, com isso, aumenta o risco de fraturas, que podem acontecer mesmo no menor impacto e pode afetar negativamente sua qualidade de vida e prejudicar a independência para realizar tarefas do dia a dia.

As fraturas mais comuns (50%) são as vertebrais e, em segundo lugar (25%), as de quadril. Porém, a última é mais perigosa: cerca de 25% das pessoas morrem após um ano, 40% das pessoas ficam incapazes de andar de forma independente e 33% acabam totalmente dependentes ou em uma casa de repouso.

Quais são os sintomas da Osteoporose?

 

A osteoporose é uma doença silenciosa, que dificilmente dá qualquer tipo de sintoma e se expressa por fraturas com pouco ou nenhum trauma, mais frequentemente no punho, fêmur, colo de fêmur e coluna. Outros sintomas que podem surgir com o avanço da doença são:

  1. Dor ou sensibilidade óssea;
  2. Diminuição de estatura com o passar do tempo;
  3. Dor na região lombar devido a fraturas dos ossos da coluna vertebral;
  4. Dor no pescoço devido a fraturas dos ossos da coluna vertebral;
  5. Postura encurvada ou cifótica.

Diagnóstico da Osteoporose

 

A densitometria óssea por raios X é um exame não invasivo, fundamental para o diagnóstico da osteoporose. Ele possibilita medir a densidade mineral do osso na coluna lombar e no fêmur para compará-la com valores de referência pré-estabelecidos. Os resultados são classificados em três faixas de densidade decrescente: normal, osteopenia e osteoporose.

Como  tratar a Osteoporose?

O tratamento pode ser feito através de cirurgias,terapias e medicamentos.

Medicamentos- Existem várias medicações indicadas para o tratamento da osteoporose, que individualizadas a cada caso. Quando diagnosticada, a osteoporose tem uma ou outra indicação de medicamento, a depender da gravidade ou das causas secundárias. Alguns medicamentos comuns usados do tratamento da osteoporose são:

-Raloxifeno

-Bisfosfonatos

-Ranelato de estrôncio

-Teriparatida

-Desonumab

-Calcitonina

Terapias

Reposição de estrogênio: A terapia de reposição hormonal é eficaz na prevenção da osteoporose e de fraturas vertebrais e não vertebrais.

Suplementação de cálcio e vitamina D:  a ingestão adequada de cálcio e sua suplementação são indicados para o tratamento e prevenção da osteoporose. Já a vitamina D é um nutriente importante na manutenção da saúde óssea, uma vez que suas principais funções são a regulação da absorção intestinal de cálcio e a estimulação da reabsorção óssea.

Cirurgias

A vertebroplastia é um procedimento minimamente invasivo para tratar fraturas na coluna vertebral, melhorando a dor e a capacidade funcional desses pacientes em cerca de 90 a 95%.

A cifoplastia é um procedimento ambulatorial usado para tratar fraturas por compressão dolorosa na coluna vertebral.

 

*Com informações dos sites: Veja.Abril,Drauzio Varella, Minha Vida e Blog Pilates.

 

Mais Notícias

Sarcopenia

https://traumatologiaesportiva.com.br/sarcopenia/

Artrite Reumatoide

https://traumatologiaesportiva.com.br/artrite-reumatoide/

A idade dos Joelhos

https://traumatologiaesportiva.com.br/a-idade-dos-joelhos/

Brasileiros e falta de atividade física

https://traumatologiaesportiva.com.br/brasileiros-e-a-falta-de-atividade-fisica/

 

Veja alguns dos nossos artigos

Infiltração Medicamentosa

  A infiltração Medicamentosa consiste em aplicar uma injeção com medicamentos corticoides, anestésicos ou ácido hialurônico para tratar lesões, inflamações ou reduzir a dor. Este procedimento é feito, na maioria das vezes, em articulações como joelho, coluna, quadril, ombro ou pé, apesar de também poder ser feito em músculos ou tendões. O objetivo da infiltração é tratar a doença no local […]

Osteoartrite

  Conhecida popularmente como artrose, a osteoartrite é uma patologia que acomete as articulações, caracterizada pela degeneração das cartilagens, acompanhada de alterações das estruturas ósseas vizinhas. A osteoartrite é a mais comum das doenças reumáticas: 80% a 90% das pessoas acima de 40 anos já mostram sinais de osteoartrite ao realizar um raio-X. Mulheres e homens são […]

Osteoporose

  A osteoporose, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), é considerada como um dos maiores problemas de saúde no mundo. É uma doença esquelética caracterizada por diminuição da massa óssea e deterioração dos ossos, com consequente aumento da sua fragilidade e suscetibilidade à fratura. A Osteoporose acomete ambos os sexos, no entanto, é mais comum […]

Como Chegar?

Facebook
Instagram